Guia sobre Lucerne, a cidade mais charmosa da Suíça

Aléxia Muniz
Aléxia Muniz
Olá! Meu nome é Aléxia, criei esse blog para poder falar de viagens. Meu objetivo é te ajudar a viajar, através das minhas histórias e experiências. Bem-vindo ao meu mundo!

O planejamento de uma viagem pela Suíça não é nada fácil, o país apesar de ser pequeno, possui várias cidades lindas e dá vontade de visitar tudo. Acredito que Lucerne é uma cidade que você deve incluir no seu roteiro, vou contar, nesse post, mais sobre a minha cidade favorita da viagem.

Localização

Suíça faz fronteira com 4 países, Alemanha, França, Itália, Áustria e Liechtenstein, fica no centro da Europa. O país é composto por 26 cantões, que são como os estados, onde cada um tem sua autonomia em legislação. 

O país tem 4 idiomas oficiais, alemão, francês, italiano e romanche. Romanche é uma língua local e poucos habitantes falam o idioma. Cada região muda o idioma, muda a arquitetura e os costumes. Então, é legal que parece que você visitou vários países numa viagem só.

Lucerne fica no norte do país, na região da Suíça Alemã, está bem no meio das montanhas Rigi e Pilatuse ainda tem o lindíssimo Lago Lucerne. A cidade fica 50km ao sul de Zurique, uma das principais portas de entrada no país. Para chegar em Lucerne, a melhor forma é de trem. De Zurique até Lucerne é apenas 1h de viagem de trem. Apenas 1h desde a capital Berna e 3 horas desde Genebra. Ou seja, está muito bem localizada.

A cidade possui cerca de 80 mil habitantes e é uma cidade muito importante para o país. Ela fez parte da primeira Confederação Suíça em 1332. Apesar da cidade ser pequena, possui muitos passeios em seus arredores, sendo uma ótima cidade para fazer base e explorar a região.

Por que visitar Lucerne?

Eu li uma frase quando estava planejando a minha viagem e confirmei quando a visitei. Lucerne é uma cidade que representa muito bem o país. Às margens do Rio Reuss, banhada pelo Lago Lucerne, montanhas ao redor, centro histórico bem preservado e a parte nova da cidade moderna, porém com charme. 

Além disso, por estar centralizada, funciona muito bem para visitar outras regiões. No verão, tem os passeios de barco e no inverno, os passeios para as montanhas. Sem contar que para visitar as pequenas vilas nos Alpes fica próximo. Sem contar que a cidade fala alemão e na minha opinião, a Suíça Alemã foi a minha favorita.

Como se locomover na cidade?

Lucerna não é uma cidade muito grande, sendo ideal ficar bem localizado para poder conseguir fazer tudo a pé e quando precisar, melhor coisa é usar transporte público. Para quem tem o Swiss Travel Pass, o transporte público dentro da cidade está incluso. E funciona perfeitamente bem, nós usamos o ônibus para ir até algumas atrações mais afastadas.

Mas mesmo quem não tem o Swiss Pass, quem se hospeda em Lucerna em qualquer hotel, o turista recebe o VisitorCard, que dá acesso gratuito aos ônibus da cidade durante o período de estadia na cidade. 

Para recomendação de hotéis, eu amei o hotel que ficamos, o Hotel Des Balances, o post está aqui para vocês verem. Eu amei o centro histórico, então recomendo ficar por ali para ter uma viagem cheia de charme.

Agora, outra dúvida que me perguntam, quantos dias ficar na cidade? Eu recomendo pelo menos, 3 dias que foi o tempo que ficamos. Caso queira fazer passeios ao redor, 4 ou 5 dias.

O que fazer em Lucerne?

Imperdível conhecer o Centro Histórico, recomendo que separe um dia para poder caminhar com calma e vendo tudo por ali. A beleza dos edifícios está muito presente nas pinturas, e essas pinturas contam a história da família que morava ali, do negócio que tinham ou da própria cidade mesmo.

A Cidade Velha, é chamada de Altstadt e o legal é se perder pelas suas ruelas. Os prédios históricos e os detalhes em madeira dão um charme muito especial. Na beira do Rio, tem vários restaurantes que valem a pena parar, comer um prato e uma cerveja. Imperdível.

Ponte da Capela

O ponto turístico mais importante e conhecido da cidade é a Ponte da Capela, também conhecida como Kappellbrucke. É a mais famosa ponte de madeira de Lucerna, que passa por cima do Rio Reuss. Foi erguida em 1365, porém um incêndio destruiu uma parte da ponte em 18 de agosto de 1993, ela foi reconstruída e reabriu em 1994.

A ponte é o cartão postal da cidade, é considerada a ponte coberta mais antiga da Europa e a mais velha ponte treliça existente no mundo. Ela conecta a cidade antiga medieval, o centro histórico com a cidade nova. A ponte era originalmente, parte das fortificações da cidade para proteger a cidade de ataques vindos da água.

Na parte interna, possui 158 painéis pitorescos que foram incorporados no século 17 e contém cenas da história Suíça e da cidade de Lucerne. A ponte tem 204 metros e no meio dela, fica o Wasserturm, também conhecido como a Torre da Água. A Torre tem 34 metros de altura e foi construída por volta de 1300 como parte da muralha da cidade e era usada como prisão e câmara de tortura. Hoje a torre está fechada para turismo e no lugar, tem uma associação de armas e uma loja de presentes.

A Kappellbrucke é passagem obrigatória para quem visita a cidade, é um símbolo da cidade medieval e está aberta somente para passagem de moradores e turistas.

Löwendenkmal ou O Leão de Lucerne

Esse é um dos principais pontos turísticos da cidade. O Leão é uma escultura feita por Bertel Thorvaldse e homenageia os guardas suíços que foram mortos em 1792 durante a Revolução Francesa. Desde o começo do século XVII, soldados suíços serviram a França. O Rei Luís XVI foi forçado a sair com a sua família do Palácio de Versalhes para o Palácio de Tulherias em Paris. Em 1792, revolucionários invadiram o palácio, com isso, o Rei e sua família foram escoltados para outro local.

Os Suíços ficaram sem munições e foram encurralados no Palácio. Defendendo o Palácio, morreram mais de 600 guardas. A ideia de criar esse monumento em homenagem a esse guardas, foi de Karl Pfyffer von Altishofen, um oficial da Guarda Suíça que estava de licença quando a luta começou a acontecer.

O monumento foi feito em 1820 e é dedicado Helvetiorum Fidei ac Virtuti (“à lealdade e bravura dos suíços“). O leão está sofrente e quase morto por uma lança, está em cima de um escudo com o símbolo da monarquia francesa e ao seu lado, um outro escudo com o brasão de armas da Suíça. Embaixo da escultura, lista os nomes dos oficiais mortos.

Mark Twain, o escritor americano, visitou o Leão e fez um texto em sua homenagem.

‘’O leão encontra-se no seu covil na face perpendicular de um pequeno penhasco — pois ele está gravado na rocha viva do penhasco. O seu tamanho é colossal, a sua atitude é nobre. A sua cabeça está arqueada, a lança partida está espetada no seu ombro, a sua pata protetora descansa sobre os lírios de França. Vinhas pendem do penhasco e acenam ao vento, e um curso de água límpido goteja do topo para um pequeno lago na base, e na suave superfície do lago espelha-se o leão, por entre os nenúfares. 

Em seu redor há árvores verdes e relva. O local é refugiado, repousando num recanto de de um bosque, remoto do barulho, do tumulto e da confusão — e tudo isto se adapta, pois os leões morrem em tais locais, e não em pedestais de granito em praças públicas rodeado de muros com elaborados gradeamentos de ferro. O Leão de Lucerna seria impressionante em qualquer local, mas nunca tão impressionante como no local em que se encontra.’’

– Mark Twain,A Tramp Abroad

Onde Fica?

O monumento fica um pouco afastado da cidade velha, nós chegamos ao local de ônibus. É enorme, tem cerca de 10 metros de comprimento e 6 de largura. Fica atrás de um pequeno lago, muito lindo e jardim ao redor. O local é lindíssimo, nós fomos no outono, então tinha folhas amarelas caindo no lago. É um local triste e muito bonito. Tem alguns bancos ao redor. Dando uma atmosfera bem romântica da época.

Ao redor do local, tem várias lojinhas que vendem souvenirs do leão e restaurantes para quem quer aproveitar pra comer ou tomar um café.

Passeio de Barco

Na minha opinião, esse é um passeio imperdível. Não deixe de fazer esse passeio lindíssimo pelo Lago. Para quem tem o Swiss Travel Pass, o passeio mais básico é gratuito. O passeio fica melhor no verão, porém fomos no outono e deu pra aproveitar bem. Tem os passeios básicos que dão a volta no lago e tem os passeios pagos que são feitos por empresas privativas com refeições e diferentes. Aqui tem o post completo que fiz sobre nosso passeio.

Muralha Medieval e suas 9 Torres

Lucerna era uma cidade medieval totalmente cercada por muralhas que, antigamente, protegia a cidade. E é legal, pois a cidade foi uma das poucas no mundo que manteve praticamente intacta a antiga muralha. Vale a pena caminhar pelas muralhas e fazer algumas paradas nas torres, são 9 torres no total e 4 estão abertas ao público.

Infelizmente, não achamos nenhuma aberta. Acredito que fica aberto depende da época, entre os meses de abril e novembro das 08h às 17h. As 4 que estão abertas ao público são:  Schirmer, Zyt, Wacht e Männli. A Time Tower é a torre que tem um relógio que foi instalado em 1535. O relógio é bem antigo, então é legal de ver. Vale dizer que a Torre Mannli é considerada a melhor, por conta da vista panorâmica.

Bate e volta para as Montanhas

Tem várias Montanhas ao redor, as principais são Monte Tiltis e Montanha Rigi. O Monte Tiltis é mais afastado, demora aproximadamente 1h20 por trecho. O Monte Tiltis tem neve o ano inteiro e tem um teleférico que gira 360 graus até chegar no pico da montanha. Lá em cima, tem várias atividades como Caverna de Gelo e Ponte Suspensa.

O Monte Pilatus é o mais próximo de Lucerne. Para quem tem Swiss Travel Pass, fica metade do preço. Do centro de Lucerna são em torno de 30 minutos. O Monte Pilatus é o cartão postal de Lucerna e também se dá pelas lendas que cercam a montanha. Diz que durante a Idade Média, enormes dragões com poderes de cura viviam dentro das cavernas lá no alto. E por isso, o símbolo de Pilatus é um dragão vermelho e toda decoração gira em torno dos dragões.

Aqui está o post que fiz sobre o passeio de montanha que escolhi, o Jungfrau em Interlaken.

O que eu achei?

Essa foi minha cidade favorita. A última do meu roteiro e não poderia ter escolhido melhor. A cidade é muito charmosa, linda mesmo. No domingo, saimos para passear e ao lado do hotel, tinha uma feira na beira do Rio com produtos frescos, queijos.. Muito legal ver os moradores passeando pela feira.

Era uma delícia passear na beira do Rio, os restaurantes eram ótimos e mesmo nos momentos que fomos pra cidade nova, visitamos barzinhos por lá e foi super legal. A cidade é jovem, ao mesmo tempo que tem história. Vale a pena conhecer.

Beijos!

Compartilhe esse post:

– leia mais –

Posts relacionados